Cristina Pirv anuncia retorno ao vôlei

Por Saque Viagem - 11/05/2016 - 12h35 - São Paulo

Pirv foi ídolo no Minas, onde ganhou uma Superliga (Foto: Divulgação)

Pirv foi ídolo no Minas, onde ganhou uma Superliga (Foto: Divulgação)

Ídolo do Minas e da seleção da Romênia, a ex-jogadora Cristina Pirv está de volta ao mundo do esporte. A romena foi nomeada Embaixadora da Federação Romena de Vôlei na última semana. Entre os principais desafios está a aproximação de atletas romenos com os times do Brasil e também a apresentação da “escola brasileira” de vôlei a treinadores da Romênia.
 
“Sinto-me honrada com essa nomeação. É muito bom ver o reconhecimento do seu trabalho e dedicação. O vôlei me deu tudo nessa vida e espero poder retribuir agora da melhor maneira possível. Fazer isso pela Romênia aqui no Brasil, que posso chamar de minha casa, é realmente incrível”, comentou Pirv. 
 
A romena, que hoje mora com os dois filhos em Curitiba (PR), jogou no Minas entre 97 e 2002, período em que se sagrou campeã da Superliga. Também atuou na Itália, Estados Unidos e Áustria. Por todos os lugares, colecionou títulos e prêmios individuais. Depois de jogar pelo Novara-ITA, em 2005/06, decidiu se aposentar e se dedicar à família. 
 
Dez anos depois, agora com a função de abrir novos mercados para os romenos em um país que conhece tão bem, Pirv se mostra animada com o retorno ao mundo do vôlei. “Vou trabalhar para abrir as portas do Brasil e do mundo para o esporte romeno e assim ajudar na evolução do nosso voleibol, que mudou minha vida e pode fazer isso por muita gente.”
 
O convite a Pirv partiu do presidente da Federação de Vôlei da Romênia, Gheorghe Visan, assim que foi eleito para o cargo, em março último. Pesou, de acordo com o dirigente, o fato de a ex-jogadora ser “notoriedade nacional”, além de conhecer tão bem os dois ambientes: Brasil e Romênia. 
 
“A Cristina poderá realizar trocas de experiências entre o Brasil e Romênia com as nossas equipes jogadores e técnicos, para melhorarmos o nível dos nossos campeonatos e seleção. Acreditamos muito que esse projeto será um grande diferencial por ser iniciado no Brasil, uma das maiores potências no mundo do vôlei”, encerrou o dirigente.