Meninas do Brasil iniciam novo ciclo com vitória de virada no AM

Por Saque Viagem - 30/05/2017 - 23h40 - São Paulo

Não foi uma apresentação de encher os olhos. E nem dava para exigir isso de uma seleção que acabou de se reunir. Ainda mais uma seleção com tanta gente nova, que até outro dia torcia por Sheilla, Fabiana, Dani Lins, Fernanda Garay, Jaqueline e Thaisa. Mas é sempre bom e importante começar um novo trabalho com vitória. E foi assim que se iniciou o ciclo Tóquio-2020 para a equipe verde-amarela.
 
Na base da vontade, o Brasil venceu a República Dominicana de virada em Manaus (AM), na noite desta terça-feira (30). Foi um triunfo de 3 a 1, com parciais de 21/25, 25/20, 25/19 e 25/21. Com o sentimento de dever cumprido, as meninas de Zé Roberto fazem as malas e partem para Belém (PA). Na capital do Pará, jogam novamente contra as caribenhas, às 21h30 (de Brasília) de quinta-feira (1º), com RedeTV. É o último jogo antes da viagem para a Suíça.
 
Brasil fez 3 a 1 no primeiro amistoso do ano (Foto: Michael Dantas/Mpix/Divulgação)
 
 
Para a primeira aparição do Brasil na temporada 2017, o técnico Zé Roberto escalou Roberta, Tandara, Natália, Drussyla, Adenízia, Carol e Suelen. A renovada seleção passou por dificuldades no primeiro set. Sem ter o passe na mão, Roberta teve dificuldade para fazer as atacantes jogarem. Dificuldade que passou longe de Martinez. Inspirada, a ponteira fez estrago na defesa das rivais, que tomaram 25 a 21.
 
Mas só foi o Brasil colocar a cabeça no lugar e acertar a mão no saque para o confronto mudar de dono a partir do segundo set. Tandara também cresceu e passou a ser uma arma importante para Roberta. Porém, após começar bem, a equipe de Zé Roberto parou e permitiu que as caribenhas empatassem em 11. Depois do momento instável, as brasileiras se recuperaram para empatar a disputa.
 
O empate fez bem ao sexteto de amarelo, que levou para o terceiro set o mesmo nível de concentração. Até o bloqueio, que vinha aparecendo pouco, começou a incomodar as atacantes de Kwiek. Para ficar ainda melhor, o time de Martinez e Peña abusou dos erros. Foi a deixa para as donas da casa jogarem com o placar mais confortável. E foi assim até o final. Em um ataque firme de Tandara, a seleção virou a disputa para 2 a 1 (25/19).
 
Com 2 a 1 no marcador, a seleção relaxou no quarto set. E esta postura menos agressiva tornou a disputa perigosa. Os erros no saque também atrapalharam no andamento da partida. A República Dominicana se animou e passou a incomodar mais as anfitriãs, mesmo com Martinez no banco de reservas. No final, porém, o Brasil foi mais regular para fechar o confronto em 3 a 1, fruto de um saque matador de Natália.
 
 
LOJA SAQUE VIAGEM: OS MELHORES PRODUTOS DE VÔLEI AGORA A SEU ALCANCE