Recém-chegadas, Malesevic e Bjelica já se sentem em casa no Vôlei Nestlé

Por Saque Viagem - 08/09/2016 - 14h57 - São Paulo

Ao lado de brasileiras, sérvias participaram da apresentação do elenco nesta quinta (Foto: João Pires/Fotojump)

Ao lado de brasileiras, sérvias participaram da apresentação do elenco nesta quinta (Foto: João Pires/Fotojump)

Desde a última segunda-feira (5), Malesevic e Bjelica começaram a respirar o ar do Brasil. As sérvias desembarcaram no País pela manhã e, à tarde, já conheceram as novas companheiras do Vôlei Nestlé. Um treino leve as deixou mais ambientadas ao José Liberatti, ginásio que farão de segunda casa durante a temporada 2016/17. 
 
No dia seguinte, entenderam um pouco mais sobre o voleibol brasileiro ao acompanhar, ao vivo, o confronto entre Vôlei Nestlé e Pinheiros pelo Campeonato Paulista. E levaram sorte às osasquenses, vitoriosas em 3 sets a 1. No Henrique Villaboim, tiveram também o primeiro contato com a nova torcida. 
 
Diante da agenda cheia, tiveram mais um compromisso nesta quinta-feira (8), data da apresentação oficial do elenco do Vôlei Nestlé à imprensa. O evento aconteceu no próprio José Liberatti. Apesar dos poucos dias deste lado do Atlântico, as sérvias contaram já se sentir em casa.
 
“Antes de vir, procurei saber mais sobre o Vôlei Nestlé e tive excelentes recomendações. É um clube com muita tradição e estou feliz de fazer parte disso e poder contribuir. Mesmo com pouco tempo, já senti que a atmosfera deste grupo é incrível. Vim para conquistar bons resultados e quero representar bem o time e ajudar minhas companheiras e a comissão técnica", garantiu Malesevic.
 
A ponteira também procurou conhecer melhor o português para conseguir se comunicar com as novas colegas. Embora ainda não consiga falar tão bem, Malesevic é capaz de entender tudo o que se diz. Sequer precisa de ajuda para tradução. Isso tem ajudado a vice-campeã olímpica e a oposta Bjelica no entrosamento com as brasileiras. 
 
 
Malesevic e Bjelica vão defender pela primeira vez um clube brasileiro (Foto: João Pires/Fotojump)
 
 
"Estou muito feliz e posso dizer que fui recebida como se fosse uma jogadora brasileira. Nos últimos anos, joguei na Turquia e Polônia e nunca foi dessa maneira. O clube tem uma organização de alto nível. Tive meu primeiro contato com o treinamento e achei excelente e bem forte. Todos foram muito carinhosos comigo e já me sinto em casa. Essa estrutura do Vôlei Nestlé é importante para mim porque sou jovem e pretendo desenvolver melhor meu vôlei e crescer como atleta", comentou Bjelica, que briga com Paula pela vaga de titular na equipe osasquense. 
 
Enquanto a oposta chega com a missão de derrubar bola, Malesevic foi contratada para dar mais volume de jogo ao time. O passe é sua principal característica. Some-se à boa recepção a experiência adquirida nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, quando ajudou a Sérvia a conquistar a inédita medalha de prata. 
 
“A experiência de ser medalhista olímpica é incrível e me dá uma segurança de ter passado por um grande desafio e conquistado um excelente resultado. Hoje me considero mais experiente por conta disso. Estou sempre disposta a aprender e evoluir e quero contribuir para que tenhamos uma temporada vitoriosa. Meu primeiro contato com o técnico Luizomar foi durante as Olimpíadas. Fiquei contente que ele foi me assistir e vou fazer meu máximo para retribuir esse carinho", disse a ponteira. 
 
A dupla, que está morando em Osasco (SP), ainda não tem uma data certa para estrear oficialmente com a camisa do Vôlei Nestlé. Dos treinos, no entanto, já participam normalmente.